Como o zika vírus e chikungunya chegaram ao Brasil

Mosquito-aedes- aegypti transmissor da dengue-zika-virus-e -chikungunya

Mosquito-aedes- aegypti-transmissor-da-dengue-zika-virus-e -chikungunya

O zika vírus no Brasil

Você provavelmente não tinha ouvido falar sobre o zika vírus até bem pouco tempo atrás. Mas você não esta sozinho, pouca gente o conhecia. Até 2007 só sabíamos de 14 casos de infecção por zika no mundo na África e Ásia. Antes disso ele circulava principalmente em macacos na floresta, tanto que seu nome vem da floresta de zika em Uganda onde foi descoberto em 1947.

O zika assim como vírus da dengue é um flavivírus, um de vários vírus que infectam artrópodes como mosquitos e carrapatos e mamíferos como humanos e macacos. O ciclo da doença é exatamente assim; alguém doente é picado pelo mosquito, o vírus se multiplica dentro do mosquito ou até nas larvas que crescem nos  ovos e é transmitido quando o mosquito infectado pica uma pessoa saudável.

O que fez o zika e outros vírus como chikungunya saírem da àfrica e da Ásia para o Brasil foi uma infestação mundial pelos dois mosquitos que os transmitem, o aedes aegypti e o aedes albopictus.

Não são só animais como cachorros e gatos que foram domesticados por nós; ratos, pombos, baratas e até mesmo mosquitos passaram a conviver mais com o ser humano, evoluíram e nesse processo se urbanizaram. Por exemplo o aedes aegypti muito provavelmente tenha vindo da África Subsaariana, ele vivia em florestas pondo ovos em buracos de árvores inundados e se alimentando do sangue de outros animais. Mas com o tráfico de escravos para o Brasil os espanhois e os portugueses trouxeram para as américas doenças como a febre amarela e outras , bem como o mosquito. Daqui o aedes aegypti seguiu para a Austrália e depois ganhou o mundo.

Nas décadas de 50 e 60 ele foi quase extinto com o uso de inseticida, mas voltou com força total, afinal a fêmea  põe seu ovos em água parada limpa ou suja, ele já não faz mais distinção e o que não falta em cidade são locais apropriados  como acúmulo de lixos, pneus,  garrafas, caixas d’águas e muito mais.

Assim como o vírus da dengue o zika tem se dado muito bem por aqui. Em abril de 2015 foi detectado pela primeira vez no Brasil, mas precisamente na Bahia em pacientes com sintomas de febre de dengue que testaram negativos para o vírus causador da dengue. E agora já existem casos na América do sul e central em países como México, Colômbia, Venezuela e Paraguai.

O zika vírus causa sintomas parecidos com os da dengue, por isso é fácil confundir as duas doenças. Os sintomas mais comuns são: dor no corpo, dor de cabeça, cansaço, febre manchas vermelhas no corpo, no caso do zika ainda tem a conjuntivite. Até pouco tempo esses eram os sintomas conhecidos. mas pelo menos na Polinésia  Francesa e na Bahia junto com os casos de febre ouve um aumento dos casos de uma reação autoimune contra o sistema nervoso chamada de síndrome de guillain-barré que provoca de paralisia de pernas e braços a parada respiratória. Além disso em pelo menos outros quatorze estados onde o vírus está circulando também foram registrados mais de 1300 casos de bebês com microcefalia. Ainda não temos como afirmar com cem por cento certeza que o vírus zika realmente está  causando esses casos. Mas tanto o ministério da saúde quanto a organização mundial da saúde relaciona os dois. Se a relação for realmente confirmada teremos um problema muito sério pela frente e outros milhares de casos de microcefalia no país inclusive com mortes de bebês.

A microcefalia pré natal é uma má formação do sistema nervoso central do bebê em gestação onde órgãos como  o cérebro não formam corretamente podendo causar até morte  e para o qual não há tratamento. Outros vírus como a rubéola causa microcefalia e outras complicações também. No caso da síndrome de rubéola o período mais perigoso são os três primeiros meses da gestação, se a infecção por zika causar algo próximo o que não sabemos ainda, esse pode ser o período mais preocupante. Em todo caso fica as recomendações: gravidas devem fazer o pré natal corretamente, usar repelentes, usar roupas compridas, usar roupas claras e etc; e todos nós devemos fazer nossa parte ajudando combater o mosquito aedes evitando acumulo de água parada onde pudermos. Além do zika vírus, da dengue e do chikungunya há uma serie de outros vírus que podem se espalhar enquanto tivermos mosquitos  voando por aí. Porem se unirmos foças seremos capazes de vencer essa guerra contra esta terrível ameaça.

Você pode gostar...